[RESENHA] O Espadachim de Carvão e as Pontes de Puzur do Affonso Solano

 :

Hey pessoas!

 :

ISBN:  ISBN-13: 9788577345687 ISBN-10: 8577345688

Páginas: 192

Nota: ★★★★★

Sinopse: “Ninguém viaja mais rápido que Puzur.” Lutando para se adaptar ao mundo real, Adapak se refugia no navio de Sirara, farto de lidar com os segredos do passado. Mas quando um antigo diário cai em suas mãos, o Espadachim de Carvão acaba por mergulhar nos registros de alguém responsável por influenciar não somente sua vida, mas a história de Kurgala – uma menina forçada a acompanhar a jornada de um ladrão desesperado, disposto a violar as regras mais antigas de Kurgala . Quem foi Puzur? O que procurava? Enquanto viaja pelas páginas do tempo, Adapak desconhece que sua curiosidade está prestes a colocá-lo sob a ameaça de algo que ele mesmo possa ter desencadeado.

 :

OBS: Quem quiser ler a resenha do primeiro livro pode clicar aqui (Eu estava bem animada escrevendo essa resenha haha)! 

Então… sabe quando você gosta muito de um livro e espera uma continuação fantástica, e ela não te surpreende? Foi isso que aconteceu.

Quero dizer logo de cara que o livro é bom. Exploramos melhor Kurgala nesse livro, agora com um mapa (Affonso, seu lindo) para ajudar e somos apresentados a novos personagens fantásticos. Eu só não me senti apegada ao livro, como foi no primeiro. Mas ok….

 :

Nesse segundo volume nós temos duas linhas do tempo : uma no passado, com Puzur, e uma linha do tempo atual, com Adapak. Uma das coisas que me irritou foi o fato dos capítulos em que a história de Adapak é contada serem bem pequenos. O nossa herói do primeiro livro é ofuscado por Puzur. Compreendo que o livro trás o nome de Puzur na capa e que a intenção é nos apresentar a esse personagem, mas acredito que Adapak continua sendo o principal ( ou pelo menos deveria). Minha HUMILDE opinião hahaha

Nos primeiros capítulos em que somos apresentados a Puzur, vemos o ladrão em ação e nos perguntamos o que o levou a estar fazendo aquilo. No meio de sua aventura, uma jovem acaba se tornando sua companheira : Lau. E acredite, foi a primeira personagem feminina que eu realmente me apeguei nesse universo. Com o passar das páginas, descobrimos que Puzur está tentando libertar sua mãe adotiva e o acompanhamos nesse trama.

A ideia de pegar uma personagem nova (Lau) e crescer ela durante a trama, a ponto de ter uma importância no universo do Espadachim é fantástica. Foi uma das coisas que eu mais gostei nesse livro.

Porém, o que me deixou meio ‘nhe‘ foram os capítulos destinados a contar como estava indo a vida de Adapak. Sem ação alguma, acompanhamos Adapak em suas descobertas dentro de uma biblioteca, tomando conhecimento sobre o passado de Kurgala.

 :

Em geral, o livro é bom, eu só não me apeguei a ele como me apeguei ao primeiro. Fiquei um pouco perdida na trama :/

Mas por fim, gostaria apenas de fazer duas observações:

  1. MEU DEUS ESSA EDIÇÃO É LINDA! Olha esse verde/azul turquesa/cor que eu achei linda,mas não sei o nome.
  2. Affonso Bigode Engraçado arrasando nessa foto haha

 :

 :

Acompanhe o Blog nas redes sociais:

Facebook  Twitter ✽ Tumblr  ✽ Pinterest  ✽ Ask  ✽ Skoob

Anúncios

5 comentários em “[RESENHA] O Espadachim de Carvão e as Pontes de Puzur do Affonso Solano

  1. Essas expectativas não correspondidas com esse novo livro estão sendo bem comuns pelo que estou vendo. Muita gente está falando que esperava mais e que a história é bem parada. Até então eu não estava dando tanta importância para isso, mas depois que falasse que o Adapak meio que vira personagem secundário dentro de seu próprio livro, estou começando a ficar preocupado que eu não me anime muito também. Porque é como dissesse, Adapak é o grande protagonista, o título da trilogia/saga/oqueseja remete a ele, então é meio frustrante vê-lo não fazer muita coisa. Agora tira uma dúvida Ysa, nós temos a resposta para a carta T’arish? A personagem reaparece ou nós descobrimos o que estava escrito? Gostei bastante de no 1º livro o Adapak ter deixado isso de lado, mas acho chato chegarmos ao fim da história do Adapak e não sabermos o fim da T’arish. Se não tivemos a resposta no livro 2, espero que venha no próximo.

    1. T’arish é deixada de lado nesse livro, e Lau acaba se tornando a personagem feminina mais forte nessa trama (mas acredito que essa questão possa ser abordada em um próximo livro )

  2. Olá, eu não sei se você teve a mesma oportunidade que eu de conhecer o Affonso, e de assistir uma palestra dele dedicada totalmente falar sobre o Universo de Espadachim de Carvão. Bem, na palestra que tive o prazer de assistir, o Affonso disse que os próximos livros não giraram ao redor só de Adapak; podemos pensar que a saga não é só “O espadachim de Carvão”, mas sim vários protagonistas que contaram historias incríveis – Eu esperava mais também, porém, gostei bastante do Puzur e da Lau. Para mim, Affonso está construindo bem a história de Kurgala.

    1. Olá Emerson, seja bem vindo! Então, não tive oportunidade de conhecer o Affonso (ainda). Pretendo ganhar meu autógrafo e dar uma grande abraço nessa criatura na CCXP, na próxima semana. Sobre a palestra, obrigada pela informação, eu realmente não sabia. Eu também curtir o livro, só que fui na esperança de encontrar mais aventuras sobre o nosso querido Adapak. A mudança não foi necessariamente ruim, só não consegui me ver ‘atraída’ pelo personagem da vez 😦 Mas é isso… amei seu comentário! Será sempre bem vindo em meus posts! 😀

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s