Livros para ler em 2016

Hey pessoas!

Então, como já é de costume, aqui estou fazendo mais uma meta de leitura que eu não vou cumprir hahaha Brincadeira, gente! Ano passado eu fiz uma meta de leitura, mas foram aparecendo livros durante o ano que entraram na frente dos que eu pretendia ler, ai bagunçou tudo e na metade do ano eu já tinha desistido da meta.  MAS ESSE ANO NÃO! Esse ano as coisas vão ser diferentes. Eu pretendo dividir os livros durante o ano, para já ter uma data para ler eles e não deixar no vento, tipo “Ah, quando der eu leio.” O negócio ficou sério ! haha’

É claro que conforme alguns livros forem sendo lançado durante o ano, eu vou lendo os lançamentos também. Essa meta não quer dizer que eu só vou ler esse livros. É uma meta base – eu vou ler esses livros mais os lançamentos que eu me interessar no ano.

Eu resolvi dividir as metas em três categorias : nacionais, internacionais e literatura russa. “May, por que não colocou os livros da literatura russa junto com os internacionais?” Por que como eu já havia mencionado em algum post que eu não lembro agora , em 2015 minha meta foi ler mais livros nacionais e eu consegui. Para 2016 a minha meta geral é ler literatura russa, por que sei lá, eu gosto dos russos. 😀

Então… Allons-y!

NACIONAIS

 :

Ozob (Deive Pazos e Leonel Caldela) – O futuro chegou. E é pior do que os nossos pesadelos. O século 22 é uma época escura, feita de cibernética, inteligências artificiais, megacorporações que controlam os governos, redes sociais onipresentes, gangues e violência. No centro de tudo, uma metrópole se ergue em plataformas sucessivas, com prédios que se elevam acima das nuvens. Construída sobre o que já foi Nova York, Delta City abriga as maiores corporações e milhões de habitantes. Mas, nas ruas sob as plataformas, a Cidade Baixa é o lar de criminosos, miseráveis e escória. O lar de Ozob. Ozob, um construto genético encomendado por uma corporação, feito à imagem da mente insana de seu criador. Perseguido por seus irmãos sanguinários, só tem mais dois anos de vida. Para ele, nenhum minuto pode ser desperdiçado. (OBS: Eu já comecei a ler)

Os Karas (Pedro Bandeira) – Num clima de muito mistério e suspense, cinco estudantes – os Karas – enfrentam uma macabra trama internacional: o sinistro Doutor Q.I. pretende subjugar a Humanidade aos seus desígnios através de uma perigosa droga que está sendo testada em alunos dos melhores colégios de São Paulo… O série Os Karas é composta por cinco livros : A Droga da Obediência, Pântano de Sangue, Anjo da Morte, A Droga do Amor e Droga de Americana.

Protocolo Bluehand: Alienígenas (Eduardo Spohr, Alexandre Ottoni e Deive Pazos) – O Protocolo Bluehand é um conjunto de diretrizes e conhecimentos que farão a diferença na subsistência e resistência contra os mais diversos perigos ignorados pelo senso comum social. O codinome Bluehand nasceu no site Jovem Nerd como sinônimo de uma pessoa curiosa e interessada, o típico nerd, aquele sujeito que, por sua inteligência e sapiência, tornar-se-ia indispensável em uma situação de emergência. No entanto, esse termo deve ser extrapolado acima de um único indivíduo, se a raça humana aspira sobreviver a um evento de proporções cataclísmicas. Quem devemos procurar em uma sociedade fragmentada pela obliteração de organizações políticas, civis e militares? Se você leu este livro, já sabe a resposta.

As Crônicas de Ghanor (Alexandre Ottoni e Andrés Ramos) – Há muitos anos, através de longas madrugadas, um grupo de amigos armados com lápis, papel, um conjunto de dados e muita imaginação eram levados a explorar sombrios calabouços e a enfrentar terríveis dragões. Assim eram as divertidas sessões de RPG que foram recriadas nos episódios especiais em podcast do site Jovem Nerd. Uma imersão sensorial em áudio, que levou mais de um milhão de ouvintes a visitar um mundo fantástico em companhia de um bando de heróis desajustados e hilariantes. Mas até hoje as Crônicas de Ghanor só podiam ser acessadas por fones de ouvido. Não mais. Hora de abrir os olhos…

A Menina Que Colecionava Borboletas (Bruna Vieira) – Bruna Vieira está cada vez mais longe dos quinze, e sabe que crescer nunca é tão simples. Considerada uma das blogueiras mais influentes do mundo, mais uma vez ela dá vazão ao seu talento como escritora com este seu novo livro de crônicas e pensamentos, em que mostra o quanto amadurecer e conquistar a independência é maravilhoso, mas tem seus desafios e poréns. A garota do interior que usa batom vermelho e que realizou seus maiores sonhos continua inspirando adolescentes de todo o país. Para ela, as páginas deste livro significam o bater de asas das borboletas que colecionou dentro do peito por algum tempo e que agora, finalmente, pode deixar que voem livres por aí.

INTERNACIONAIS

 :

Eu Sou a Lenda (Richard Matheson) – Transformando cada homem, mulher e criança do planeta em algo digno dos pesadelos mais sombrios. Nesse cenário pós-apocalíptico, tomado por criaturas da noite sedentas de sangue, Robert Neville pode ser o último homem na Terra. Ele passa seus dias em busca de comida e suprimentos, lutando para manter-se vivo (e são). Mas os infectados espreitam pelas sombras, observando até o menor de seus movimentos, à espera de qualquer passo em falso… Eu sou a lenda, é considerado um dos maiores clássicos do horror e da ficção científica, tendo sido adaptado para o cinema três vezes.

Marcas da Guerra (Chuck Wendig) – O que aconteceu depois da destruição da segunda Estrela da Morte? Qual o destino dos remanescentes do Império Galáctico e dos antigos Rebeldes, agora responsáveis pela fundação da Nova República?Nesse novo panorama galáctico, vamos descobrir que a guerra ainda não chegou ao fim… e que os traumas deixados por ela ainda serão sentidos por muitos e muitos ciclos.

Fundação (Isaac Asimov) – Obra máxima do escritor Isaac Asimov, os três livros que compõem a Trilogia da Fundação foram eleitos, em 1996, a melhor série de ficção científica e fantasia de todos os tempos, superando concorrentes de peso como ‘O Senhor dos Anéis’, de J.R.R. Tolkien, e John Carter de Marte, de Edgard Rice Burroughs. Isso não se deve apenas à combinação perfeita de conflitos épicos e tramas profundas, sempre recheadas de mistério e muita ação, mas também ao fabuloso trabalho de pesquisa e às referencias envolvidas em sua criação.

Como Eu Era Antes de Você (Jojo Moyes) – Aos 26 anos, Louisa Clark não tem muitas ambições. Trabalha como garçonete num café, um emprego que não paga muito, mas ajuda nas despesas, e namora Patrick, um triatleta que não parece interessado nela. Não que ela se importe. Quando o café fecha as portas, Lou é obrigada a procurar outro emprego. Sem muitas qualificações, consegue trabalho como cuidadora de um tetraplégico. Will Traynor, de 35 anos, é inteligente, rico e mal-humorado. Preso a uma cadeira de rodas depois de um acidente de moto, o antes ativo e esportivo Will desconta toda a sua amargura em quem estiver por perto. Tudo parece pequeno e sem graça para ele, que sabe exatamente como dar um fim a esse sentimento. O que Will não sabe é que Lou está prestes a trazer cor a sua vida. E nenhum dos dois desconfia de que irá mudar para sempre a história um do outro. Como eu era antes de você é uma história de amor e uma história de família, mas acima de tudo é uma história sobre a coragem e o esforço necessários para retomar a vida quando tudo parece acabado.

LITERATURA RUSSA

 :

Gente Pobre (Fiódor Dostoiévski) – Partindo das experiências de Púchkin, em “O chefe da estação”, e Gógol, em “O capote”, que deram ao homem comum uma nova roupagem literária, Dostoiévski criou uma narrativa epistolar que subverteu o gênero por completo e foi imediatamente aclamada pelo público, fazendo de seu autor, praticamente da noite para o dia, um escritor consagrado.

Crime e Castigo (Fiódor Dostoiévski) – Publicado em 1866, Crime e Castigo é a obra mais célebre de Fiódor Dostoiévski. Neste livro, Raskólnikov, um jovem estudante, pobre e desesperado, perambula pelas ruas de São Petesburgo até cometer um crime que tentará justificar por uma teoria: grandes homens, como César e Napoleão, foram assassinos absolvidos pela História. Este ato desencadeia uma narrativa labiríntica que arrasta o leitor por becos, tabernas e pequenos cômodos, povoados de personagens que lutam para perservar sua dignidade contra as várias formas da tirania.

Diário De Um Louco (Nikolai Gogol) – Diário de um Louco é uma aventura invulgar vivida por um funcionário atormentado que, perdido de amores pela filha do director e condenado, por vezes, a “ouvir e ver coisas que ainda ninguém viu nem ouviu”, decide perseguir o animal de estimação da rapariga, “a ver o que é que ele pensa.” Na leitura deste diário, como explica, na introdução, Filipe Guerra, misturam-se “o real e o fantástico, o normal e o patológico, o razoável e o delírio (…) a ponto de o leitor se sentir desconfortavelmente a assistir ao sofrimento de um ser humano a quem a identidade se vai estilhaçando com a rapidez e a intensidade de um pequeno conto”.

Então é isso! São 16 livros, e bem… vamos torcer pra eu conseguir, né ?! A meta não é grande. Acredito que o único fato que complica são os lançamentos que eu vou querer ler na frente. Além disso, coloquei Crime e Castigo na lista e acredito ser o livro que vai ser mais complicado de terminar, mas vamos pensar positivo 😀

É isso, galera ! Grande abraço e até a próxima!

Acompanhe o Blog nas redes sociais:

Facebook  Twitter ✽ Tumblr  ✽ Pinterest ✽ Skoob

Anúncios

2 comentários em “Livros para ler em 2016

    1. ❤ Yayy! Pretendo fazer um especial lá no canal do You Tube do Hey Ysa mostrando o andamento do projeto "Literatura Russa". Vamos ver se dá certo! E quando você lê Crime e Castigo me fala o que achou. 😀

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s