[RESENHA] Doctor Who: Uma mãozinha para o Doutor do Eoin Colfer

Hey pessoas!

Então, já faz um tempinho que eu estava tentando ler Doctor Who: 12 Doutores, 12 Histórias , mas nunca dava certo. Percebendo que o estava me impedindo de fazer isso era a falta de tempo, resolvi ler os contos separados e resenha-los separadamente aqui no blog. Fazer isso vai dar uma atenção especial a cada conto, também, e não fazer uma resenha atropelada dos 12 de uma vez.

Então… Allons-y!

 :

ISBN:  ISBN: B00IZTNSWA

Páginas: 36

Autor: Eoin Colfer

Editora : Rocco Digital

Sinopse: Primeiro Doutor: Londres, 1900. O primeiro Doutor perdeu sua mão e sua neta, Susan. Ao procurar Susan, o Senhor do Tempo encontra um estranho feixe de luz soporífera, e precisa impedir um bando de Piratas de Alma de despedaçar seres humanos, o que promete uma perigosa jornada até uma terra que ele provavelmente nunca vai esquecer…

 : O conto se passa na Londres vitoriana do ano de 1900, e começa com o nosso querido Doutor tendo uma mão com apenas dois dedos sendo implantada em seu braço. Após perder uma das mãos em uma batalha com um  Pirata de Almas, o Doutor terá que suportar viver mais dois dias com uma mão biohíbrida de dois dedos, até que uma “humana” seja colocada em seu braço.

Após sair do consultório do cirurgião Aldridge um pouco decepcionado, vendo que sua mão biohíbrida pertencia a uma dama e tinha as unhas pintadas de vermelho, o Doutor recebe várias mensagens seguidas de sua neta, Susan, dizendo que ele precisa voltar e ajuda-la a salvar várias crianças de um ataque dos Piratas de Almas que está prestes a começar.

O Doutor, movido pelo medo de perder sua neta, corre até o local para ajuda-la, mas chegando lá encontra a pobre Susan e as crianças no estado de delírio em que os piratas deixam suas vítimas. Elas são expostas a um gás, que as deixam dormindo e sonhando, após isso, as pessoas são levadas pelos piratas, que usam seus órgãos. Como o Doutor irá salva-la?

Um dos motivos da minha pessoa ser apaixonada por Doctor Who, é ver a forma como o Doutor sempre resolve as coisas. Ele nunca é obvio e você nunca sabe o que ele vai fazer. Você vai ser sempre levado para uma aventura maluca, super original, onde aparentemente o problema não tem solução, mas ele vai achar uma. Ele sempre acha uma. É simplesmente fantástico. Esse conto consegue captar muito bem essa peculiaridade de Doctor Who, além do humor, que está sempre presente nos episódios.

Um ponto que eu curtir bastante, foi o fato de ter sido apresentada a uma personagem que tem uma ligação familiar com o Doctor e ver a relação dele com ela. É muito legal isso, por que mostra um lado mais humano, posso dizer, do Doctor.

A história, mesmo sendo curta, consegue ser envolvente,instigante e muito divertida. Super recomendo a leitura! 😀

Acompanhe o Blog nas redes sociais:

Facebook  Twitter ✽ Tumblr  ✽ Pinterest ✽ Skoob

Anúncios

3 comentários em “[RESENHA] Doctor Who: Uma mãozinha para o Doutor do Eoin Colfer

  1. Ah, o Doutor é o Doutor! Não tive a oportunidade de ler nenhum livro a respeito da história, mas acredito que vou amar ainda mais! Parabéns pelo blog, ele é incrível. Super beijo 😀

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s